NOSSAS CRIANÇAS E O REINO DE DEUS

IMG_0333

Marcos 10: 13 – 16

Vivemos em uma sociedade corrompida, ensandecida e incoerente.
Cuidar, educar e proteger uma criança deveria ser algo natural para
qualquer pessoa.
Mas não é isto que acontece e por isto é preciso criar leis que protejam os
direitos das crianças. Por exemplo, em 1959 UNICEF lançou a “Declaração
universal dos direitos da criança” e em 1990 no Brasil é promulgada o ECA –
Estatuto da criança e do adolescente.
Estas leis têm como objetivo proteção integral social e educativa para que
as crianças tenham direito de serem simplesmente crianças.
Na bíblia encontramos também alguns estatutos para proteger uma criança
e Jesus em hipótese alguma deixou as crianças fora do seu zelo e cuidado. Por
isto Jesus abençoou as crianças.
O simples fato de Jesus tomar as crianças em seus braços já revela o
carinho e cuidado que Jesus tem para com as crianças.
Jesus acolhe, ora e abençoa as crianças.
Por isto ele nos deixou exemplos de como devemos tratar, cuidar e proteger
nossas crianças. Quer sejam seus filhos ou não.
No texto que lemos encontramos dois tipos de pessoas: As que levam
crianças a Jesus e as que impedem as crianças de irem a Jesus.
Percebam que as crianças não foram sozinhas, elas foram levadas até
Jesus. Quem as levou?
Creio que algumas delas eram crianças de colo, outras vieram andando,
mas todas foram “levadas” a Jesus.
Possivelmente os pais reconheceram a necessidade de levar as crianças
para Jesus abençoá-las. Os pais sabem ou pelo menos deveriam saber que
nenhuma criança deveria ficar longe de Jesus.
Infelizmente estamos vivendo uma cultura onde dizem que as crianças
devem decidir por seus próprios caminhos como se elas fossem capazes de
discernir a mão esquerda da direita.
Creio firmemente que os pais têm a responsabilidade de orientar e fomentar
que “tipo” de educação moral e espiritual seus filhos irão ter.

Os pais não devem “terceirizar” a formação espiritual, deixando esta
incumbência somente à igreja ou outras pessoas.
Levar as crianças a Jesus é a coisa mais importante que podemos fazer por
nossos filhos. Se não nos esforçarmos para fazer isto, certamente elas serão
influenciadas por outras pessoas para se afastarem de Jesus.
Não espere, não hesite e não deixe para mais tarde esta responsabilidade.
Sabemos que aquilo que cultivarmos no coração dos nossos filhos até a idade
de cinco ou sete anos, isto ficará arraigado em seus corações.
Amados, precisamos criar nossos filhos não apenas para serem bem
sucedidos, mas sim para honrar e glorificar a Deus.
Na verdade, Jesus encoraja os pais a deixarem as crianças vierem a
ele: “Deixem vier a mim as crianças”.
Por outro lado temos outro “tipo” de pessoa… A que impede as
crianças de irem a Jesus.
Pior que quem estava tentando impedir eram os próprios discípulos. A
igreja deve ser uma facilitadora para as crianças e não um empecilho.
Percebam algo importante: As pessoas de fora poderiam entender que
Jesus era preconceituoso ao perceber os discípulos mandando embora as
crianças.
Os discípulos devem ter julgado que as crianças eram incapazes de
discernir as coisas espirituais, mas as crianças estão incluídas no projeto de
Deus.
De que forma podemos impedir as crianças virem até Jesus?
a) Quando não ensinamos as crianças a respeito da palavra de Deus.
Os pais devem ensinar as crianças de forma dinâmica e variada a palavra
de Deus… Conforme Dt. 6. 1 – 9.
“Com persistência, conversando, sentado, em casa, pelo caminho, ao deitar,
ao se levantar, com ilustrações e escrevendo nas portas da casa”.
Quando impedimos as crianças de vir a Cristo?
b) Quando deixamos de ser exemplo a elas.
Não ensinamos as crianças apenas com palavras, mas com exemplo.
Somos influenciadores tanto para o bem como para o mal.

Jesus nos dá uma advertência severa: “Se alguém fizer tropeçar um destes
pequeninos que crêem em mim seria melhor que fosse lançado no mar com
uma grande pedra amarrada no pescoço”.
Precisamos ser exemplo de vida com Deus para nossos filhos. Nossos
filhos precisam ver a gente lendo a bíblia, orando e orando por eles e com eles.
c) Quando julgamos que as crianças não merecem maior atenção.
Os discípulos queriam ajudar Jesus a reorganizar a sua agenda impedindo
as crianças, acharam que Jesus tinha outra maior prioridade.
As crianças ocupam e devem ocupar lugar de destaque em nossas vidas.
Elas têm a prioridade em nossas agendas, muito mais que o celular.
d) Quando pregamos o antievangelho.
Sempre acabamos falando mal da igreja, das pessoas da igreja, dos
ministérios da igreja na frente das nossas crianças.
Isto vai gerando neles instabilidade emocional e espiritual com relação à
igreja e conseqüentemente um afastamento da igreja e da comunhão dos
santos.
Como igreja de Jesus, precisamos ter zelo, cuidado e carinho com as
nossas crianças… “O Reino de Deus pertence a elas”.
Em nosso ministério infantil sempre ficou enfatizado que aquele local nunca
seria um lugar de depósito de crianças para elas não atrapalharem o culto.
Procuramos sempre qualificar nossos professores para ensinar nossas
crianças da melhor forma possível.
Precisamos ter a mesma atitude de Jesus: Tomar as crianças nos braços,
impor as mãos sobres elas e abençoá-las com toda sorte de bênçãos
espirituais.
Jesus nos deixa uma advertência: “Quem não receber o Reino de Deus
como uma criança, nunca entrará nele”.
Estamos ficando cada vez mais racionais… Estamos ficando com uma fé
intelectualizada. Refletimos muito a respeito de Deus e sempre estamos
ouvindo coisas ruins a respeito da igreja.
Aliás, virou modinha falar mal da igreja.
Não queremos mais assumir compromisso com o Reino de Deus… Alguns
estão até mesmo traumatizados com a igreja.

Porém para outros a igreja tem que ter sensacionalismo, emoções a flor da
pele, sentimentos, choro, gritos… Algo até mesmo psicodélico… Se não, não
sentiu a presença de Deus.
Dois extremos que nos afastam do Deus vivo.
E Jesus continua advertindo a igreja… “se não receber o reino como uma
criança… Nunca entrará nele”.
Crianças se entregam facilmente… Crianças crêem… Crianças confiam…
Crianças descansam.
Precisamos ser menos racionais e se entregar mais.
Mesmo para aqueles que foram feridos em nome da igreja… Elas precisam
se voltar para Deus. Lembrar que Jesus está zelando por ela.
Um exemplo: Quando uma criança se machuca o que ela faz?
Ela corre em direção para os braços do pai ou da mãe.
Este é um exemplo para nosso relacionamento com Deus e ele espera que
você venha correndo para os seus braços.
Jesus deseja também nos tomar em seus braços, orar por nós e nos
abençoar.
Jesus é simples, o evangelho é simples, mas a gente quer complicar tudo.
A ceia do Senhor é algo simples, porém representa uma realidade
profunda… Jesus se entregou espontaneamente por você e espera que você
prontamente também se uma a ele.

Sobre Comunidade Moriah

Seja bem vindo! Você acessou a página da Comunidade Moriah, uma Comunidade Cristã dedicada a viver e propagar a mensagem do Evangelho sem barganhas, em um espírito de humildade, sinceridade, moderação e amor. Aqui você poderá ficar por dentro de nossas atividades e conferir algumas das mensagens que têm sido ministradas entre nós. Esperamos que elas possam abençoar a sua vida tanto quanto nos têm abençoado!
Esse post foi publicado em Pregações. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s