MANDAMENTOS PARA UMA VIDA PLENA (PARTE 03)

plenitude-2Êxodo 20: 7

 

Lembrando sempre que os mandamentos são expressão da graça de Deus para manter um povo livre.

 

Os mandamentos fariam outras nações reconhecerem Deus e seu amor e cuidado para com o seu povo.

 

Outros povos iriam admirar a maneira daquele povo viver e reconheceriam o valor do Deus.

 

Vejam o que diz Deuteronômio 4: 6 – 8: Vocês devem obedecer-lhes e cumpri-los, pois assim os outros povos verão a sabedoria e o discernimento de vocês. Quando eles ouvirem todos estes decretos dirão: “De fato esta grande nação é um povo sábio e inteligente, pois que grande nação tem um Deus tão próximo como o Senhor nosso Deus, sempre que o invocamos? Ou, que grande nação tem decretos e preceitos tão justos como esta lei que estou apresentando a você hoje?”.

 

Deus tem prazer em zelar pelo seu povo, mas o povo também deve zelar pelo nome de Deus.

 

Da mesma forma que temos o nosso nome para zelar por ele, Deus ordena que zelemos por seu nome.

 

É como se Deus nos dissesse: “Você me ama? Então proteja o meu nome, minha identidade e minha história”.

 

Qual é a importância de um nome?

 

Na idade antiga cria-se que o nome estivesse diretamente ligado ou vinculado a personalidade e caráter de uma pessoa.

 

Alguns exemplos bíblicos: Abrão teve o nome mudado para Abraão = muito ou multidão, para pai de muitos.

 

Jacó = usurpador ou enganador para Israel, = aquele que luta com Deus.

 

Josué é aquele que salva e Davi significa amado.

 

     E qual é o nome de Deus?

 

Quando Moisés estava no monte Horebe e Deus apareceu a ele com uma voz em uma sarça que queimava. Deus lhe diz para ir até o rei do Egito e pedir para deixar o povo dele livre.

 

Então Moisés pergunta: Em nome de quem que eu devo ir? Ou seja, qual é o teu nome? Deus lhe responde: Apenas diga: “Eu sou o que Sou”. – Eu sou me enviou a vocês.

 

Na verdade parece que Deus não revela que ele tem apenas um nome, mas várias formar de agir.

 

Deus não pode ser definido apenas por um nome… Deus é!

 

Deus não precisa ser identificado… Ele sabe quem Ele é!

 

Ninguém jamais poderia exercer controle sobre o nome de Deus. Ele apenas é e isto seria o suficiente para qualquer ser humano.

 

Não precisamos saber de apenas um Nome para definir Deus! Vejam o que a bíblia declara a seu respeito:

 

Os céus declaram a gloria de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos. Um dia fala disso a outro dia e uma noite o revela a outra noite. Sem discurso nem palavras não se ouve a sua voz. Mas a sua voz ressoa por toa a terra e as suas palavras, até os confins do mundo. Sl 19: 1 – 6.

 

A própria natureza confirma e testifica que existe um Deus onipotente.

 

De que forma podemos então tomar o nome de Deus em vão? = Significa fútil, ou sem valor?

 

Antigamente aprendíamos que tomar no nome de Deus em vão era apenas dizer: “juro por Deus”. Então minha mãe brigava e dizia para não falarmos assim.

 

Mas isto nos remete a um grande desafio: NÃO DEVEMOS TER MEIAS PALAVRAS.

 

Nossa palavra deve ser sim, sim e não, não. Tudo o que sair da nossa boca deve ser autentico e verdadeiros, pois quem usa o nome de Deus parece não ser uma pessoa digna de confiança.

 

Algumas pessoas usam o nome de Deus para ser seu avalista. (Deus assinou).

 

Quantos já ouviram alguém que no meio de uma conversa solta a seguinte frase: (Deus me falou quê…).

 

Se Deus falou, quem somos nós para contradizê-lo? Isto é um tipo de recurso usado por quem não quer sofrer oposição.

 

Outra frase é a seguinte: (o importante é que Deus me usa).

 

Esta é a frase de pessoas que querem viver da sua própria maneira sem ser confrontado com os princípios pré-estabelecidos por Deus.

Quem ama, cuida, diz o ditado popular. Então transparência, integridade e caráter devem ser atributos suficientes para que as palavras de uma pessoa sejam dignas de crédito e confiança.

 

Deus não precisa ser avalista de ninguém.

 

Deus nos desafia a sermos pessoas honestas, assumindo nossos atos e as consequências de cada escolha que fazemos.

 

Outras pessoas usam o nome de Deus para causar danos psicológicos.

 

Muitos pais têm dificuldades de impor limites a seus filhos e então usam a seguinte frase: “Se você fizer tal coisa… Deus vai castigar… Deus está vendo”.

 

Isto é abuso psicológico. Estamos dizendo que o nosso Deus é um Deus vingativo e criando barreiras que muitas vezes irá impedir algumas pessoas se voltarem totalmente para Deus.

 

Estas palavras estão sendo hoje muito usadas por lideres religiosos e estão causando um mal desnecessário em muitas pessoas.

 

Abuso espiritual em nome de Deus. Isto é tomar o nome de Deus em vão. Usar o nome de Deus para exercer poder sobre a vida de algumas pessoas.

 

No meio evangélico vemos muitas pessoas que para qualquer situação falam a seguinte frase: “Em nome de Jesus”.

 

Sabemos que Deus se revelou de forma plena na pessoa de Jesus.

 

Felipe certa vez perguntou a Jesus: Senhor mostra-nos o pai… E Jesus respondeu: Quem me vê, vê o pai.

 

     Paulo reconheceu toda a plenitude de Deus em Jesus e escreveu: que embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus devia apegar-se, mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo tornando-se semelhante aos homens. E sendo encontrado em forma humana humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte e morte de cruz. Por isso Deus o exaltou à mais altas posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus, se dobe todo joelho, nos céus e na terra e debaixo da terra e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor para a glória de Deus Pai. Fl. 2: 6 – 11.

 

O nome de Jesus é muito precioso para ser usado de forma religiosa e pagã. Para ser usado em vão.

 

Muitas pessoas usam o nome de Jesus como um nome mágico. (exemplo o desenho shazzan em que é um gênio que aparece para salvar duas crianças que estão em perigo. Elas batem as duas partes dos anéis mágicos e gritam shazzan).

 

Isto é religiosidade pagã… Usar o nome de Jesus como fórmula mágica.

 

De que outra forma tomamos o nome de Jesus em vão?

 

Quando nos reunimos para o momento de adoração e não tomamos a consciência no nome de quem nos reunimos.

 

Perdemos o temor e o tremor de estarmos diante de um Deus soberano sobre todas as coisas e sobre todos os nomes.

 

Estamos confundindo informalidade com ausência de reverencia.

 

Por isto Deus ordena: “Não tomarás em vão o nome do Senhor o teu Deus, pois o Senhor não deixará impune quem tomar o seu nome em vão”.

 

Este mandamento nos liberta dos deuses falso e os liberta do paganismo religioso.

 

CONCLUSÃO:

 

Tomar o nome de Deus em vão, é viver em desacordo com seu reino e com a sua justiça.

 

Não se apresente como alguém que crê em Deus sem agir da maneira que o agrada.

 

Seja vigilante com a maneira que você vive, sem usar o nome de Jesus de forma leviana.

 

Um dia, toda a língua confessará o Nome que está acima de todo o nome e todo joelho se dobrará diante de Jesus.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Sobre Comunidade Moriah

Seja bem vindo! Você acessou a página da Comunidade Moriah, uma Comunidade Cristã dedicada a viver e propagar a mensagem do Evangelho sem barganhas, em um espírito de humildade, sinceridade, moderação e amor. Aqui você poderá ficar por dentro de nossas atividades e conferir algumas das mensagens que têm sido ministradas entre nós. Esperamos que elas possam abençoar a sua vida tanto quanto nos têm abençoado!
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s