300-DERRUBANDO OS MITOS QUE NOS APRISIONAM

Muro

Juízes 6: 15 – 40

Na mensagem passada vimos que precisamos restabelecer nossa confiança em Deus e não temermos, pois sabemos que O Senhor é conosco.

Hoje vamos falar a respeito de “alguns mitos” criados em nossa mente e coração e que muitas vezes nos impedem de seguir em frente e ir à luta.

Gideão foi o homem escolhido por Deus para libertar Israel não por que era o mais valente e o mais corajoso, mas por que não se conformava com aquela situação de opróbrio e calamidade em que viviam.

Deus está em busca de pessoa que não se acovardam, não se conformam com a vida que estão vivendo e por isso elas continuam a lutar mesmo em meio as crises.

Baseado neste texto vamos ver alguns mitos que nos aprisionam e que nos impede de progredir.

O que é um mito? É uma crença construída sobre algo ou alguém. Teorias e conceitos que acreditamos serem verdades por serem populares.

Exemplos: Ovos vermelhos são mais saudáveis que os brancos. Três reis magos visitaram Jesus, etc.

Quais são os mitos que criamos e que precisam ser destruídos?

1) O conformismo.

O conformado se acomoda com a situação, ele sempre acha que não

adianta continuar lutando.

Gideão mesmo sabendo que poderia ser saqueado estava lá, malhando trigo em um lugar menos apropriado, (um tanque de prensar uvas). (11).

Isto nos submete que Gideão estava lutando para sobreviver mesmo em meio ao caos. Ele não ficou lambendo as feridas da automiseração.

Lembram a história do menino jogando peixinhos de volta ao mar? Um pecador chega e diz que tem peixe demais morrendo e que não adiantaria nada lança-los ao mar de volta.

E o menino responde: “Para este peixinho aqui vai fazer toda a diferença”.

Pessoas acomodadas querem ganhar guerras sem enfrentar as batalhas.

Não de acomode com a situação, continue lutando mesmo que as circunstâncias não lhes sejam favoráveis.

2) Sentimentos de inferioridade, de incapacidade.

Gideão tinha sua autoestima muito baixa e o sentimento de inferioridade inibe a pessoa de acreditar em si mesma.

Ele sentia que a família dele não era importante e que ele mesmo era o menor ou mais insignificante da família. (15).

Estes sentimentos geram impotência, negatividade, inaptidão.

Gideão praticamente estava pedindo para chamar outro em seu lugar, alguém mais qualificado, melhor preparado, mais instruído.

A pessoa com estes sentimentos desconhece a sua própria força e sua capacidade de lutar.

Nossas limitações não podem ser empecilhos, elas devem nos estimular com mais empenho naquilo que nos propomos fazer.

Precisamos derrubar este mito no coração. Em nós mesmos não vamos encontrar forças, mas é Deus que está nos capacitando e encorajando.

3) A tentação de desistir.

Quantas pessoas que começam um projeto e param no meio do caminho por causa de empecilhos.

Gideão pede um sinal para Deus, oferece sacrifícios, derruba o altar de baal e quase foi morto por sua família. Joás se levanta para defendê-lo e então ele toca a trombeta convocando um exército para a luta.

No meio do caminho ele fica em dúvidas se é aquilo mesmo que deve ser feito e pede outro sinal. O da lã seca e da lã molhada.

Quantas pessoas que depois de andarem mais da metade do caminho param e desistem? E por que desistem?

a) Vai ser difícil demais, requer muito esforço.

b) Acho que isto não era para mim.

c) Não tenho ninguém para me ajudar.

d) Precisa muito dinheiro e o dinheiro tá curto.

e) Eu sabia que isto não ia dar certo.

Gideão teve que enfrentar a tentação de desistir pedindo a Deus ajuda.

O sinal que ele pede a Deus é como se ele tivesse pedindo para o Senhor fortalecer o seu coração na hora da tentação.

4) Sentimento de rejeição.

Quando Gideão foi à noite derrubar o altar de baal, no dia seguinte todos da cidade queriam saber quem foi que fez aquilo.

Descobriram que foi Gideão e por causa de uma palavra de Joás que disse:

“Se baal fosse realmente um deus, poderia defender-se quando derrubaram seu altar”. (31).

Gideão foi rejeitado por seus familiares, mas alguém o incentivou a fazer o que ele fez.

Continue seguindo em frente a fazer o que você está fazendo, independente de quem aprove ou reprove o que você está fazendo e tente paralisá-lo.

Não podemos fazer as coisas para agradar pessoas o tempo todo. Às vezes vamos fazer coisas fora do comum e que se tornaram impopulares e desta forma vamos perder alguns amigos.

Precisamos derrubar este mito de rejeição, que se não fizermos o que os outros gostam vamos ser rejeitados por eles.

5) A incredulidade ou dúvida é um mito que precisa ser derrubado urgentemente.

Tudo o que fazemos tem quer ser feito por fé. “Sem fé é impossível agradar a Deus”.

Quando o Senhor pede para Gideão despedaçar o altar de baal era como se tivesse pedindo para destruir um espírito que atuava naquele povo.

Aquele altar era um símbolo da incredulidade que atuava naquele povo e precisava ser destruído.

O profeta Elias também destruiu este mesmo altar.

Certa vez ele teve que dizer o seguinte ao povo: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o SENHOR é Deus, segui-o; se é Baal, segui-o.

Porém o povo nada lhe respondeu” (I Reis 18.21).

Aquele altar gerava dúvidas na mente do povo e a dúvida gera incredulidade.

Qual era a incredulidade de Gideão? “Se o Senhor está conosco, por que aconteceu tudo isso? Onde estão todas as suas maravilhas?” (6: 13).

A incredulidade se torna um ídolo em nosso coração que nos faz curvar e cair.

Quando Gideão se encontra com o Anjo do Senhor, ele possuía este coração incrédulo, mas o Senhor lhe afirmou: “Eu estarei com você”.

Esta palavra hoje é dirigida à igreja: “Eu estarei com você”. Precisamos hoje apenas desta promessa Dele para nossas vidas.

Portanto destrua e destrua completamente todo o mito de incredulidade e dúvida que está rondando sua mente hoje.

Exemplo: Lembro-me daquela cena do filme “Quarto de guerra” em que a personagem dá um basta em toda aquela situação dizendo: “Você já brincou demais com a minha mente e já aproveitou o suficiente, agora chega, acabou.

Jesus é o Senhor desta casa”.

De que forma podemos derrubar estes mitos levantados no coração e na mente?

Com consagração.

Gideão construiu um altar em honra ao Senhor, ofereceu sacrifícios a Deus.

Significa que Gideão tomou uma decisão de quem é O Senhor em sua vida.

Agora no coração de Gideão ele tinha uma certeza: O Senhor era com ele e isto lhe bastava.

Deus encontrou em Gideão um coração incrédulo, cheio de mitos e o encorajou chamando-o de homem valente.

Ele deseja fazer o mesmo por nós e nos deu todo o poder e autoridade para que ao nome de Jesus destruíssemos fortalezas.

Lembre-se: Não basta apenas destruir os mitos, precisamos edificar um altar em nosso coração ao único Deus.

Portanto destrua hoje os mitos que aprisionam o teu coração, consagre tua vida a Jesus, renda-se a Ele e tudo o mais ele fará.

Anúncios

Sobre Comunidade Moriah

Seja bem vindo! Você acessou a página da Comunidade Moriah, uma Comunidade Cristã dedicada a viver e propagar a mensagem do Evangelho sem barganhas, em um espírito de humildade, sinceridade, moderação e amor. Aqui você poderá ficar por dentro de nossas atividades e conferir algumas das mensagens que têm sido ministradas entre nós. Esperamos que elas possam abençoar a sua vida tanto quanto nos têm abençoado!
Esse post foi publicado em Pregações. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s