REFLEXÕES DE UMA EIRA

II Samuel 24: 1 – 25

“Não nos trata conforme os nossos pecados nem nos retribui conforme as nossas iniquidades”. Sl. 103: 10

Creio que Davi foi um dos homens que mais experimentou o poder da graça de Deus em sua vida e desta forma entende o quanto era amado por Deus.

Este texto que lemos demonstra que Deus é um Deus de justiça, mas que também se revela como um Deus de graça e misericórdia.

Vamos refletir em algumas questões deste texto:

1) O erro de seguirmos nosso próprio coração.

Davi tem o desejo de fazer um censo para saber quantos soldados possui para guerra. Seu general de guerra chamado Joabe o alerta a respeito deste erro.

O coração de Davi estava tão convicto em fazer isto que ele não dá a mínima para o conselho de Joabe. Gente que tem ouvidos, mas não ouvem.

a) Quando caminhamos em direção aos desejos enganosos do nosso coração nos tornamos endurecidos.

b) Não ouvimos a Deus e nem mesmo o conselho dos sábios. Caminhamos seguindo nossos pensamentos e acabamos nos dando muito mal.

c) Acabamos pagando muito caro por não ouvir a direção de Deus e conselhos de pessoas próximas.
2) O erro de confiarmos em nossos próprios planos e não na soberania de Deus.

Como medida estratégica não havia nada de errado em contar seus soldados para a guerra. Isto seria algo normal para qualquer nação.

Porém para o povo de Deus não!

Primeiro que a ordem de fazer um censo deveria partir de Deus e segundo é que existia uma forma correta de fazer o censo. (Deveria ser dada uma oferta para cada soldado alistado). (Nm. 1: 19 e Ex. 30: 11,12).

Creio que este pecado de Davi foi um excesso de confiança nele mesmo e a falta de confiança na soberania de Deus.

a) É Deus quem nos dá a vitória e não o número de soldados e carros de guerra.
b) Davi confiou apenas em seus próprios recursos.

Foram as duras penas que Davi escreveu: “Alguns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós confiamos no nome do Senhor, o nosso Deus”. (Sl. 20: 7).

3) Nunca é tarde para reconhecer seus erros.

O censo levou quase dez meses para ser feito… Enquanto isso Davi dormia tranquilamente como se nada tivesse acontecido. Este pecado não o incomodava.

Porém quando Joabe apresenta para Davi o censo e toda a sua força militar, ele sentiu remorso. Caiu em si e ficou desesperado.

Davi percebeu a loucura do seu pecado e quão insano ele foi.

Precisamos de alguns minutos de lucidez em nossas vidas. Nosso coração precisa se voltar para a nossa insensatez e reconhecer o erro e o nosso pecado.

4) Precisamos de arrependimento e confissão de pecados. (10).

Davi ora a Deus. Ele reconhece que pecou gravemente e suplicou por perdão.

Ele diz com suas próprias palavras: “Cometi uma grande loucura!”.

Um exemplo errado: Nestes dias foi noticiado a respeito de uma família que vivia à custa de cargas roubadas e a policia os prenderam.

Como todos eram “crentes” chegaram à delegacia e fizeram um grande corrente de oração para libertação deles. Mas onde foi parar o arrependimento? A confissão de pecados? O cair em si?

Mas Davi confessa: “É grande a minha angustia” (14).

Davi reconhece: “Fui eu que pequei e cometi iniquidade”. (17)

Notem: Davi não jogou a culpa em ninguém e nem nas circunstancias.

5) Pecado tem suas consequências.

Deus foi ainda misericordioso com Davi e lhe deu a oportunidade de fazer escolhas para a punição a ser recebida por seu pecado.

Pela lógica ele faz a opção menos traumática: Cair nas mãos de Deus, que é rico em perdoar do que nas mãos dos homens… Que matam o pecador com crueldade.

Em três dias Davi perdeu a força do seu poderio militar. Uma praga matou setenta mil homens.

Pecado causa morte e destruição em meio ao povo de Deus. O rei que deveria proteger o seu povo, causou morte e destruição.

6) Nosso Deus é um Deus que exerce justiça, mas também é um Deus de misericórdia.

Onde existe arrependimento, existe perdão, graça e paz.

Quando Davi confessa o seu pecado, imediatamente a praga cessou. Deus deu ordem ao anjo destruidor: “Pare! Já basta!”.

“Como um pai tem compaixão de seus filhos, assim o Senhor tem compaixão dos que o temem”. Sl 103: 13.

A confissão de pecado é algo muito difícil para quem tem orgulho no coração, ao mesmo tempo em que é algo precioso e comovente para um coração arrependido.

A praga cessou! Deus deixou de exercer o seu direito de justiça para exercer a sua misericórdia.

“O Senhor é compassivo e misericordioso, mui paciente e misericordioso, mui paciente e cheio de amor. Não acusa sem cessar nem fica ressentido para sempre”. Sl 103: 8,9.

7) Construindo um altar de sacrifícios e adoração.

Davi comprou a eira de Araúna com a finalidade de edificar o altar e oferecer sacrifícios para expiação dos seus próprios pecados.

A eira de Araúna ficava exatamente no monte Moriah, o lugar onde Abraão levou seu filho Isaque para ser ofertado a Deus e ali o Senhor entrou com providencia.

E logo depois Salomão constrói o seu templo, onde eram ali oferecido sacrifícios e adoração a Deus.

Araúna queria dar aquele lugar para Davi, mas ele não aceita, ele quer pagar o devido valor para não oferecer a Deus sacrifícios que não lhe custaram nada.

Um altar de sacrifício e adoração somente pode ser levantado quando existe arrependimento, confissão e perdão.

A transformação de uma eira em altar de sacrifícios é um marco na história de Davi. Ali Deus renovou sua aliança com Davi e lhe restituiu a alegria da sua salvação.

Naquele local Deus mostrou sua graça, bondade e misericórdia com aquele que peca e se arrepende.

E Deus aceitou a adoração naquele lugar e a destruição acabou.

Oferecer sacrifícios e adorar sem arrependimento, confissão e perdão de pecados é oferecer sacrifico de tolo.

Conclusão:

O altar já foi levantado. Jesus foi levantado em uma cruz.

O sacrifício foi feito. Jesus morreu em uma cruz.
O perdão está disponível. Jesus morreu por nossos pecados.

Falta apenas nos apresentarmos com um coração arrependido diante da cruz de Cristo.

Algumas questões para refletirmos antes de celebrarmos a ceia.

De que forma vamos continuar vivendo? Cada soldado que fazia parte do exército tinha que pagar seis gramas de prata firmando desta forma seu compromisso.

De que forma você pode afirmar hoje que faz parte da igreja de Cristo?

Existem ainda pecados não confessados?

Qual é o preço que você tem que pagar? (Negue-se a si mesmo e siga-me).

Será que estamos aceitando a oferta de Araúna? Aceitando e oferecendo sacrifícios que não nos custam nada.

Como deve ser a nossa adoração?

Como podemos servir melhor ao Senhor?

Anúncios

Sobre Comunidade Moriah

Seja bem vindo! Você acessou a página da Comunidade Moriah, uma Comunidade Cristã dedicada a viver e propagar a mensagem do Evangelho sem barganhas, em um espírito de humildade, sinceridade, moderação e amor. Aqui você poderá ficar por dentro de nossas atividades e conferir algumas das mensagens que têm sido ministradas entre nós. Esperamos que elas possam abençoar a sua vida tanto quanto nos têm abençoado!
Esse post foi publicado em Pregações. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s