NÃO VAMOS DESISTIR DE SER ESTA IGREJA

Por Edgard Bacchini
I Coríntios 16: 1 – 24.

A igreja na cidade de Corinto era uma igreja com alguns problemas, mas também com muitas qualidades.

Por isto o apostolo Paulo escreve duas cartas de recomendações. Algumas vezes os exortando pela maneira errada que estão agindo e em algumas vezes elogiando o que estão fazendo.

Naquela igreja havia divisões entre irmãos e imoralidade sexual e Paulo os admoestam.

Paulo os ensinou como deveria ser o culto e a adoração.

Falou a respeito dos dons espirituais, sobre o amor que é o mais importante e a respeito da ressurreição de Jesus.

Porém neste seu último capítulo desta primeira carta ele escreve a respeito dos relacionamentos para com os de dentro da igreja e para com os de fora da igreja.

Percebemos então algo muito importante: “Não existe igreja perfeita!”.

Todas as igrejas até os dias de hoje tem seus problemas e ao mesmo tempo existem coisas boas. Espero que consigamos “Ser” uma igreja onde as coisas boas superem os erros.

Então a minha primeira palavra é que se você procura uma igreja perfeita você não vai encontrar aqui e quando você encontrar esta igreja perfeita e você puser seus pés nela ela deixará de ser perfeita.

Vejamos algumas marcas de como uma igreja deve ser e proceder:

1) Esta era uma igreja generosa e compromissada com a ação social.

A igreja de Jerusalém estava passando por um período de crise e fome que acabou se agravando com a morte de Estevão por apedrejamento. Era uma igreja perseguida.

Alguns irmãos estavam passando por grandes necessidades e precisavam ser socorridos inclusive financeiramente.

Então Paulo ensina que a igreja com melhores condições deve socorrer irmãos que passam por algumas dificuldades.

Devemos doar de forma voluntária e generosa para com os necessitados e para isto precisamos rever alguns princípios de contribuição:

a) Devemos doar para quem faz parte da igreja e para quem não faz parte. Precisamos sair das quatro paredes e sermos menos egoístas.
b) A arrecadação deve de forma ordeira, voluntária. (No primeiro dia da semana… Domingo).
c) Doar é uma forma de adorarmos a Deus. Se esperarmos sobrar alguma renda para contribuirmos provavelmente não ofertaremos nunca.
d) A contribuição deve ser proporcional com a renda de cada um.
e) A contribuição deve ser graça e não peso. Prazer e alegria em contribuir.
f) O dinheiro deve ser administrado com transparência e através de pessoas confiáveis.

2) Esta igreja era uma igreja que sabia acolher as pessoas.

Devemos saber acolher “todos” aqueles que se achegam a nós, torná-los nossos amigos e seguidores de Jesus.

O patrimônio mais importante de uma igreja são as pessoas. Uma igreja é feita de gente como a gente e por isso precisamos valorizar e amar as pessoas que estão ao nosso lado.

Paulo pede para aquela igreja não desprezar Timóteo.

Timóteo era um jovem líder da igreja candidato ao ministério pastoral. O problema é que por ser jovem e os mais velhos não aceitavam a liderança dele.

E Paulo ensina aquela igreja que ele deveria ser muito bem recebido e a igreja tomar providencias para que ele não tenha medo de nada.

Eles devem se sentir amados, respeitados e valorizados por todos.

Amados, devemos ajudar e não sermos um tropeço na vida daqueles que estão em cargos de liderança na igreja.

Devemos valorizar e sermos encorajadores daqueles que estão se esforçando por ganhar almas para Cristo e pelo melhor funcionamento da igreja.

Vamos incentivá-los e não desprezá-los. Se eles fracassarem, fracassamos também como igreja.

3) Todos na igreja devem se esforçar por um vigor espiritual.

“Estejam vigilantes, mantenham-se firma na fé, sejam homens de coragem, sejam fortes e façam tudo com amor”. (13).

A marca desta igreja é que ela era uma igreja com vitalidade, formada por pessoas cheias de coragem e força para trabalhar.

Aqueles irmãos não desanimavam, não desistiam, buscavam ser vigilantes. Se existissem sentimentos de apatia espiritual, logo eles se revestiam no poder do Espírito Santo de Deus.

Eles tinham coragem e ousadia para trabalharem na obra do Senhor e se mobilizavam através do amor.

Amor por Jesus, amor pela igreja e o amor pelos irmãos, amor pelo próximo, este amor é o que dá liga em tudo o que fazemos.

Paulo faz uma recomendação importante: Não devemos desprezar aqueles que nos ajudaram no princípio e que devemos nos submeter aos que se dedicam e cooperam no trabalho conosco. (Os da casa de Estéfanas 15).

Devemos interagir e integrar os mais jovens com os mais experientes na vida da igreja. Todos devem desejar este entrosamento pelo melhor desempenho de cada um.

“Mesmo na velhice darão fruto, permanecerão viçosos e verdejantes para proclamar que o Senhor é justo”. Sl 92: 14.

Os jovens tem a força, mais fôlego mais energia, mas os mais velhos têm experiências para passar e encorajar ainda mais os mais novos.

4) A igreja deve se alegrar com todos aqueles que estão chegando para servir. (Vers. 17,18).

Algumas pessoas estão se achegando a nós e outras estão voltando ao nosso convívio e isto deve trazer alegria ao coração de todos.

Devemos integrá-los novamente na vida ministerial e espiritual da igreja.

E creio firmemente que estes irmãos estarão suprindo de certa forma aquilo que nós como igreja não estamos conseguindo realizar.

Jesus disse que os trabalhadores a colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos.

E que deveríamos orar ao Senhor da colheita que enviasse trabalhadores. Esta é a minha oração! Que Deus traga e que levante no meio de nós mais trabalhadores.

Estes irmãos estão trazendo alivio e refrigério para o corpo de Cristo que é a igreja.

E Paulo orienta que devemos valorizar pessoas assim, que querem servir a igreja.

Alguns domingos atrás a Cristina pregou a respeito daquele povo que ficou rodando no deserto em círculos por 40 anos.

O que era uma jornada de 11 dias levaram 40 anos para conseguirem a promessa.

Amados, chega certo momento em que temos que caminhar como igreja do Senhor Jesus e pararmos de ficar dando voltas no deserto. E para isto precisamos aprender com nossos erros e seguir caminhada juntos.

5) Esta igreja era uma igreja submissa e afetuosa em amor.

Os irmãos devem ser submissos uns aos outros, principalmente para com aquele que cooperam com a liderança da igreja.

Submissão é reconhecer a dedicação destes irmãos e valorizá-los. Submissão não é você ficar paparicando eles e sim ajudá-los a cumprir o seu ministério.

Eles eram afetuosos uns com os outros e mandavam saudações quando estavam longe e se cumprimentavam com um beijo santo quando estavam pertos.

Todos nós devemos dar e receber este amor uns para com os outros.

Eu desejo fazer parte de uma igreja assim. E você?de-maos-dadas_21071782

Anúncios

Sobre Comunidade Moriah

Seja bem vindo! Você acessou a página da Comunidade Moriah, uma Comunidade Cristã dedicada a viver e propagar a mensagem do Evangelho sem barganhas, em um espírito de humildade, sinceridade, moderação e amor. Aqui você poderá ficar por dentro de nossas atividades e conferir algumas das mensagens que têm sido ministradas entre nós. Esperamos que elas possam abençoar a sua vida tanto quanto nos têm abençoado!
Esse post foi publicado em Pregações. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s