A MAIOR (E MELHOR) ESCOLHA DE TODAS – Por Neusa Bacchini

Texto para Reflexão: Leia Josué 24: 14 -15

Escolhas fazem parte de nossas vidas e não há como fugir delas.

Se pararmos pra pensar, sempre que escolhemos algo, automaticamente, temos que abrir mão de todas as outras possibilidades.

Certas escolhas fazem toda a diferença em nossas vidas. Essas não são escolhas simples: qual profissão escolher, com quem vou me casar, qual o melhor momento de ter filhos?  Temos muito medo de errar, de nos frustrar, nesses assuntos tão importantes, não é verdade?

A Palavra de Deus nos ensina em Provérbios 16:1 o homem pode fazer planos mas a resposta certa vem do Senhor”.

Não importam quais sejam os grandes dilemas da sua vida, creio que a resposta que você tanto procura, certamente, virá do Senhor. Se você tem buscado Nele a resposta, no tempo certo, você a encontrará.

Algumas escolhas têm consequências definitivas, irreversíveis em nossas vidas. Convido você a refletir sobre a maior escolha de todas. A escolha fundamental, aquela que afetará não apenas você, mas, também, a sua família e todas as pessoas que você ama.

No texto de Josué 24:14-15, vemos como Josué colocou os Israelitas diante de uma importante decisão, uma escolha fundamental.

O texto nos mostra como os filhos de Israel entraram na Terra Prometida, após quarenta anos de peregrinação pelo deserto, sendo guiados por Deus e protegidos pelo Seu amor e cuidado.

Agora, finalmente, os israelitas se preparavam para viver em casas permanentes ao invés de tendas. Eles se preparavam para se instalar definitivamente na Terra que Deus havia dado a eles.

Josué foi indicado por Deus para substituir Moisés, que havia liderado o povo em toda a sua caminhada no deserto e que foi tremendamente usado por Deus.

Assim como Moisés, Josué cumpriu fielmente a missão que Deus havia colocado em suas mãos. Já no fim de sua vida, ele, então, reúne o povo para passar as suas últimas instruções. (Cap. 22 ao 24).

Josué relembra o povo de toda a sua história, desde a libertação da escravidão e a saída do Egito, até o estabelecimento em Canaã. Josué lembra como, em todo este período, Deus os havia protegido e guiado, até o momento de receberem a terra prometida a Abraão.

Em determinado momento do seu discurso (versos 14 e 15) Josué intima o povo Hebreu a fazer uma escolha, ou melhor: “a” escolha, aquela que determinaria um futuro vitorioso para aquele povo:

“…Mas, se vocês não querem ser servos do SENHOR, decidam hoje a quem vão servir. Resolvam se vão servir os deuses que os seus antepassados adoravam ou os deuses dos amorreus, na terra de quem vocês estão morando agora. Porém eu e a minha família serviremos a Deus, o SENHOR…” Josué 24:14 – NTLH

Essas são as três alternativas que Josué coloca para o povo:

a) Servir aos deuses dos seus pais no passado;

b) Servir aos deuses atuais;

c) Servir ao único e verdadeiro Deus, o Deus Vivo.

Sobre estas escolhas, podemos tirar alguns ensinamentos importantes:

  • DEUSES DO PASSADO – Alguns dentre o povo hebreu, apesar de terem deixado o Egito para trás, possivelmente, ainda estavam ligados ou presos aos ídolos do passado, cultuados pelos seus pais.

Ainda hoje, muitas são as pessoas que estão presas aos “deuses do passado”.

Não conseguem se libertar das coisas que ficaram para trás, estão escravizadas pelas tradições de família, por sentimentos de perdas, decepções e tristezas do passado. 

Todas essas coisas prendem as pessoas e as impedem de viver o novo de Deus, uma vida de alegria e novas conquistas.

Se você está vivendo desta forma, saiba que existe uma saída: Jesus.

Em Jesus, são rompidas todas as amarras e maldições do passado. Somos livres para termos um novo começo, uma nova vida. Frequentemente, o mundo nos aprisiona com palavras de morte e de derrota. Só Jesus nos traz palavras de vida – e vida abundante.

Mas você também pode escolher permanecer do jeito que está. Você pode escolher continuar servindo aos seus próprios “deuses” do passado e que te escravizam. Deus nos dá o livre arbítrio e, portanto, a escolha é sua.

A quem você está servindo? Medite em seu coração e esteja disposto a abandonar o que for necessário para que o novo de Deus nasça em sua vida.

2 ) DEUSES ATUAIS: Se por um lado, Josué nos ensina que não dá para servir ao Deus verdadeiro guardando “deuses” do passado no coração, tampouco podemos servir  a Deus colocando no nosso coração coisas terrenas, coisas que o mundo atual nos apresenta e com as quais tenta nos atrair.

Vivemos um período difícil, em que o mundo rende culto ao poder, à luxúria, à imoralidade, à ganância, às falsas religiões, ao relativismo, ao pluralismo religioso, entre tantas outras coisas.

Estes são enganos da atualidade, aos quais, sem perceber, vamos nos apegando, a ponto de sermos dominados por eles.

Em I João 2:15-16 diz: “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo”.

Pensando sobre o apego excessivo aos deuses deste mundo, me lembrei de uma história muito antiga sobre algumas tribos africanas que utilizavam um engenhoso método para capturar macacos. Eles construíram um grande número de pequenas caixas e, no alto de cada uma delas, faziam um buraco apenas do tamanho suficiente para um macaco introduzir a mão.

Então, espalhavam as caixas debaixo das árvores e, em cada uma delas, colocavam uma banana ou uma noz. Quando os homens se afastaram, os macacos começaram a descer das árvores e a examinar as caixas. Ao verem que havia frutas lá dentro, colocaram a mão para alcançá-las. Porém, quando um macaco tentava tirar a mão com a fruta, não conseguia, pois não havia espaço suficiente para seu pequeno punho com a fruta. A essa altura, os homens saíam dos arbustos e iam até os macacos. E o curioso era o seguinte: quando os animais viam os homens aproximarem-se, gritavam e agitavam-se com a intenção de escapar; mas por mais fácil que fosse, não queriam largar a fruta, o que lhes permitiria tirar a mão da caixa e fugir. Os homens, então, os capturavam sem dificuldades.

Assim ocorre com algumas pessoas: estão tão apegadas às coisas do mundo a ponto de não conseguirem mais largá-las, mesmo sabendo que suas vidas correm risco. Mesmo sabendo que estão se afastando cada vez mais de Deus, que satanás está à espreita, esperando o momento certo de tragá-las.

 Se insistirmos em passar nossa vida edificando para nós mesmos um reino neste mundo, jamais alcançaremos o que é eterno. 

Você também é livre para escolher continuar vivendo uma vida presa aos “deuses” deste mundo. A escolha, novamente, é sua.

  • DEUS VIVO E VERDADEIRO – Josué, então, fala sobre a melhor opção, a melhor escolha que um homem ou uma mulher poderia fazer: servir ao Deus Vivo – aquele que os conduziu para fora da escravidão no Egito e que os guiou por anos de peregrinação no deserto, até a Terra Prometida.

Viver para o Deus Vivo é acertar o alvo. Eles tinham que fazer suas escolhas, tomar uma decisão e essa decisão faria toda a diferença, não somente em suas vidas, mas em toda sua história.

Josué não aceitava a prostituição espiritual do povo e exigia a fidelidade do povo ao Deus de sua salvação.

Por isso lançou o desafio do arrependimento: “escolhei hoje a quem haveis de servir”.

Josué acrescentou: Porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (24.15). Esta foi a opção de Josué: ele escolheu servir ao Senhor e esta se revelou a melhor e maior escolha de sua vida.   

Josué tinha sido alcançado pelo amor do Senhor. Ele havia experimentado, durante anos de sua vida, os cuidados do Senhor. Josué não tinha motivo algum para servir a outros deuses, pois nenhum deles era como o Senhor em sua vida, nenhum deles era capaz de salvá-lo, por isso, em sua declaração, ele começa dizendo: “Eu”.

O pronome “eu” indica que ele próprio, Josué, era uma pessoa que tinha um relacionamento verdadeiro com o Senhor. Ele era alguém que havia experimentado a liberdade, que havia vivenciado os cantos de alegria e vitória em tantas batalhas. Alguém que havia aprendido a depender do Senhor em tudo e que reconhecia o quão Poderoso Ele é em todos os seus feitos.

Alguém assim jamais poderia adorar algum outro Deus.

Depois, então, Josué diz: “minha casa”isto é: minha família, aqueles a quem amo.  

“Minha casa” são aqueles que têm visto a obra de Deus em minha vida. Aqueles que presenciaram o meu caminhar com o Senhor, aqueles que aprenderam junto comigo as lições que o Senhor me ensinou, aqueles que puderam sentir comigo o amor, a provisão e o cuidado do Senhor em minha vida. Por isso, “eu e minha casa serviremos ao Senhor”. 

A casa de Josué é a figura de uma família adoradora, que é testemunha de alguém que serviu, verdadeiramente, ao Deus Vivo.

Será que você pode dizer como Josué: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor”?

Talvez, alguns  em sua casa podem não estar servindo ao Senhor hoje.

Entretanto, a vontade de Deus sempre será que todas as casas, todas as famílias da terra sejam alcançadas por Ele.

Deus quer salvar a nossa casa, restaurando cada um dos membros de nossa família. Você crê nisso? 

Mas, para que isso possa acontecer, precisamos fazer uma escolha. Lembre-se: como em Josué, o “eu” vem primeiro. Ou seja: primeiro “eu”, depois a “minha casa”.

Primeiramente, EU preciso ter um encontro pessoal com Jesus. EU tenho que me arrepender dos meus pecados. EU tenho que amá-lo verdadeiramente e me entregar a Ele por completo. EU preciso viver Suas promessas em minha vida. EU preciso obedecer a Sua voz. EU preciso crer que Jesus é o meu Senhor e Salvador.

EU devo reconhece-lo em todos os meus caminhos. EU preciso dar testemunho de uma vida transformada por Jesus. EU devo deixar a luz do Senhor brilhar em minha vida .

Somente então EU poderei declarar, como Josué: “eu e minha casa serviremos ao Senhor”, pois, certamente, minha casa será impactada pelo Deus da minha vida. Minha casa desejará o Deus que eu sirvo. Minha casa também desejará um encontro com esse Jesus. Minha casa também fará a melhor escolha.

Pense por um instante: qual tem sido o meu testemunho dentro da minha casa, no meio da minha família, no meu ambiente de trabalho? Será que a forma que tenho levado a minha vida tem feito com que as pessoas desejem o Deus a quem eu sirvo?

O testemunho de Josué influenciou uma nação.

A escolha de Josué foi servir ao Senhor. A escolha do povo foi servir ao Senhor.

Qual será a nossa escolha hoje? O mesmo desafio que Josué fez àquele povo, hoje, o Senhor lança a nós.

Decidam hoje: a quem vocês vão servir?

Anúncios

Sobre Comunidade Moriah

Seja bem vindo! Você acessou a página da Comunidade Moriah, uma Comunidade Cristã dedicada a viver e propagar a mensagem do Evangelho sem barganhas, em um espírito de humildade, sinceridade, moderação e amor. Aqui você poderá ficar por dentro de nossas atividades e conferir algumas das mensagens que têm sido ministradas entre nós. Esperamos que elas possam abençoar a sua vida tanto quanto nos têm abençoado!
Esse post foi publicado em Pregações e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s