Moriah: Significados – Uma Reflexão sobre o Aniversário de 10 Anos da Comunidade

“(…) que teus olhos estejam abertos e seus ouvidos atentos às orações feitas neste lugar” (2 Crônicas 6:40)

Foi na terra de Moriah que Deus deu à Abraão aquela que seria a prova mais difícil de sua vida: sacrificar seu filho Isaque. Um filho tão prometido, esperado e “sonhado”, que o próprio texto dá a exata dimensão da dificuldade da decisão diante da qual se viu Abrãao: “oferece-me seu único”. Isaque, na verdade, não era o único filho – pois Abraão também tinha tido a Ismael. Porém, Isaque, de fato, era um filho único, por todas as promessas e expectativas que o envolviam desde anos antes de seu nascimento.

Essa passagem pode soar um tanto dura aos ouvidos de alguém não-crente – e até mesmo aos ouvidos do crente mais fervoroso, quando se imagina o sentimento de um pai diante de um pedido tão desumano. Nos tornamos tão acostumados com a história, que isso acaba passando desapercebido.

Afinal, que Deus é esse que pede a um pai o sacrifício de uma vida, quanto mais a de um filho tão amado? Seria Ele um Deus frio, manipulador e sádico?

Ensinamento

Nos vários anos de caminhada que separaram o chamado de Abraão (“sai de tua parentela”) até aquele momento tão difícil, Deus havia feito uma série de promessas. Primeiro, a de que Abrão, mesmo velho, seria Pai de uma grande nação. Depois, quando Ismael já havia nascido, Deus prometeu que Abrãao seria pai novamente – dessa vez – um fruto de sua união com Sara, a mulher a quem ele amava.

Quando Ismael – o filho da escravidão – parecia se apoderar da promessa, uma nova Palavra veio de Deus, confirmando que, na verdade, era em Isaque – o filho do amor – que a aliança seria firmada.

Vemos, assim, que, em todos aqueles anos, Deus estava preparando Abraão para aquele momento. Cada palavra, cada promessa feita o haviam alimentado até aquele dia.

O texto dá uma “dica” de que o próprio Abraão desconfiava que alguma coisa diferente iria acontecer, e que, de algum modo, Isaque seria salvo. Quando os seus companheiros lhe perguntaram o que ele estava indo fazer, ele respondeu: “iremos ao monte orar, e amanhã voltaremos”.

E aí, encontramos o primeiro significado da palavra “Moriah”, que é “ensinamento”

Deus estava ensinando Abraão a ter um tipo de confiança inabalável, que não se alteraria nem mesmo quando o Autor da promessa parecia ter voltado atrás…

A lição teria mesmo que ser radical, louca e irracional.

Antes de transformar Abraão no Pai da Fé, ele teria que plantar no coração de Abraão um tipo de fé que fosse além da razão. Um tipo de fé que resiste a tudo e a todos, uma fé que teima em acreditar, que crê contra a própria esperança. Um fé meramente racional teria desistido, ao passo que o exemplo da “fé-teimosa” de Abraão está eternizado.

Abraão confiou, e, por isso, foi achado digno de receber todas as promessas – dentre elas, a de que Ele, Deus, se revelaria aos seus descendentes naquele mesmo lugar no futuro. De forma que as pessoas iriam dizer um dia, “No monte (Moriah), Deus proverá”.

Proteção

Uma antiga tradição identifica o Monte Moriah como o lugar em que Jacó – filho de Isaque – teve um sonho profético, onde os anjos subiam e desciam por uma escada que levava até o céu. No sonho, Deus se revelou a Jacó, como sendo o mesmo Deus de Abraão. Deus jurou a Jacó: “Eu estou contigo e te guardarei aonde fores, e não te abandonarei até que não tenha tiver realizado o que prometi”.

Quando se “teima” em acreditar em Deus, as promessas “teimam” em nos alcançar também.

Jacó ficou espantado, e reconheceu: “Deus está neste lugar, e eu não sabia. Este é um lugar tremendo: é a casa de Deus”.

Adoração

Cerca de mil anos separam o sonho de Jacó da inauguração do Templo Sagrado em Jerusalém, pelo Rei Salomão, no mesmo Monte Moriah.

Davi, pai de Salomão, foi quem primeiro havia tido a visão de construir uma Casa para Deus. Ele teve vergonha de viver em um palácio, enquanto Deus “habitava” em uma casa simples e portátil, feita de madeira.

Deus elogiou o sacrifício de coração do Rei Davi, mas foi por seu conhecimento mais elevado sobre Deus que Salomão – e não Davi – foi escolhido para construir o Templo. Salomão entendeu que, na verdade, “Deus não habita em casas feitas pela mão do homem”, pois nem mesmo “os céus dos céus podem Lhe deter”.

O conhecimento de Deus sempre será o maior e mais agradável sacrifício, a melhor e mais pura forma de adoração.

É daí, então, que vemos o segundo significado do nome “Moriah”, que é “insenso” – um símbolo da adoração pura, a adoração que “sobe” aos céus.

E, no Monte Moriah, Salomão faz uma das orações mais belas em toda a Bíblia: “Escuta as orações do teu servo e do teu povo neste lugar. E se, até mesmo os estrangeiros, que não te conhecem, dirigirem o coração para este lugar, escuta a oração deles, ó Deus, para que reconheçam seu Nome e temam”.

Moriah – 10 anos

A Comunidade Moriah completa 10 anos neste mês. Nesses 10 anos, muitas orações foram feitas nessa Casa. Orações de gente próxima, e orações de “estrangeiros”, que apenas cruzaram nosso caminho por uma única vez.

Nós jamais saberemos quantas orações feitas neste lugar foram respondidas. Quantas pessoas encontraram aqui consolação, alívio, esperança, durante todo esse tempo.

Esta Comunidade não foi fundada apenas com recursos materiais. Ela foi feita dos sonhos de homens e mulheres, da promessa de um lugar em que as pessoas pudessem encontrar um relacionamento puro com Deus, sem barganhas ou manipulações. E, graças a Deus, vemos esta liberdade presente, em cada pessoa que encontrado com Deus aqui. Onde está o Espírito de Deus, há liberdade.

Muitas coisas foram alcançadas e muito ainda há para se alcançar. É necessário continuar crendo na provisão de Deus, mesmo contra toda a esperança – ainda que pareça que Ele está em silencio, ou ainda que pareça que Ele voltou atrás.

Que as promessas de Deus possam nos acompanhar por muitos anos ainda.

Anúncios

Sobre Comunidade Moriah

Seja bem vindo! Você acessou a página da Comunidade Moriah, uma Comunidade Cristã dedicada a viver e propagar a mensagem do Evangelho sem barganhas, em um espírito de humildade, sinceridade, moderação e amor. Aqui você poderá ficar por dentro de nossas atividades e conferir algumas das mensagens que têm sido ministradas entre nós. Esperamos que elas possam abençoar a sua vida tanto quanto nos têm abençoado!
Esse post foi publicado em Institucional - Mensagens para a Comunidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s