Para Viver Bem – Parte 2: Vivendo em Família

Texto para Reflexão: Efésios 5: 22 – 33

Continuando a série “Para viver bem a vida”, hoje vamos falar a respeito de viver bem em família.

Lembrando que estamos seguindo no mesmo texto da carta de Paulo aos Efésios, em que somos advertidos a ter cuidado com a maneira como estamos vivendo: “Insensatos ou sábios”?

Em nossa cultura pós-moderna, percebemos que há uma grande mudança de papéis no casamento e na família, o que acaba tornando as relações confusas, frustrantes e disfuncionais.

Portanto, hoje vamos lembrar os maridos, esposas e filhos sobre seus deveres em família, e não sobre os seus “direitos”. Se todas as pessoas se concentrassem em seu dever, e não em seus direitos, as relações – certamente – se tornariam melhores e mais felizes.

1) A Bíblia cita o dever de submissão da mulher ao marido – uma palavra que tem gerado muitos maus entendidos, e, por isso, deve ser explicada.

 Submissão da mulher ao marido não significa que a mulher não pode pensar por sua própria cabeça, nem significa que ela não pode estudar, ter uma carreira profissional ou ser uma pessoa autônoma. Também não significa que a mulher é inferior, ou que o homem deve dar sempre a “última palavra” na relação. O próprio Deus disse a Abraão: “Escuta e esteja atento a tudo que sua mulher, Sara, lhe disser”. Essa passagem contraria totalmente a ideia de uma mulher que não tem nenhuma voz ativa na relação conjugal.

    Submissão significa “estar debaixo de uma missão”.

Se o marido tem a missão de conduzir sua família em perfeita paz e harmonia, trazendo todo tipo de provisão para a família viver bem, e se ele tem a missão de ser o líder do lar, levando seus familiares a conhecer e ter um relacionamento com Deus e com o próximo, a mulher – portanto – está debaixo desta missão do marido, ou seja, ela deve auxiliar o marido a cumprir sua missão.

Deus criou Eva como uma auxiliadora idônea – isto é, uma auxiliadora suficiente. Isso indica que o dever da esposa é sustentar a missão do marido.

Por outro lado, a missão do marido é amar a sua esposa a ponto de morrer por ela.

A mulher submissa faz bem ao marido todos os dias de sua vida. Ela pavimenta o caminho do amor do marido por ela.

A mulher não pode jogar, o tempo todo, na face do marido os seus fracassos pessoais ou profissionais. A mulher não deve provocar o marido, desafiando-o, ou tratando-o com ironia e sarcasmo. Isso é totalmente contrário ao conceito de submissão.

Portanto: Você, esposa, está auxiliando o marido a resolver os problemas dele em sua missão, ou está sendo mais um problema para ele? Pense nisso!

2) O dever do marido é amar a sua esposa, a ponto de entregar sua vida por ela

Se a palavra que caracteriza o dever da esposa é submissão, a palavra que caracteriza o dever do marido é amor.

O marido que deseja que a esposa lhe seja submissa deve amá-la da mesma forma que Cristo amou a igreja e se entregou por ela.

Há maridos que sufocam suas esposas e que as oprimem, usando de um autoritarismo que as aprisiona. Há maridos que falam amargamente com a esposa, e que praticam agressões, se não físicas, com uso de palavras ásperas e destrutivas. Existem palavras que machucam, que ferem mais que um tapa.

Ser submissa é entregar-se voluntariamente ao marido e amar também é entregar-se voluntariamente à esposa.

O Marido tem o dever de cuidar da vida espiritual da esposa.

De que forma? Santificando-a, purificando-a para entregá-la limpa pela palavra, para apresentá-la como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante.

O marido deve cuidar da vida emocional da esposa. O marido que maltrata a esposa é insensato, pois ele machuca a si mesmo quando fere a esposa – pois o marido deve cuidar da esposa como cuida do seu próprio corpo.

Ser romântico, cavalheiro, gentil e cheio de ternura é algo que está passando longe dos maridos insensatos.

Está faltando virtude em nossos relacionamentos, nossa família está enfraquecida e a explosão de divórcios não poupa nem mesmo os cristãos.

O dever da esposa é respeitar o marido, e o dever do marido é merecer o respeito da esposa.

3) O dever dos filhos é obedecer e honrar a seus pais

     Existem duas palavras importantes aqui: “Obediência e honra”. (6:1,2).

Os filhos devem ser obedientes aos seus pais, pois isto é justo.

Se você quer ser um jovem, um adolescente fiel a Deus, abençoado e cheio do Espírito Santo, então você tem que primeiramente ser obediente aos seus pais.

“Honrar é mais do que obedecer”. É ter amor, respeito e cuidado pelos pais.

O irmão do filho pródigo obedecia ao pai, mas não o honrava, pois não se alegrava naquilo que trazia alegria ao coração do pai. Ele não conhecia ou procurava compreender o coração do pai.

Honrar pai e mãe é honrar a Deus. Os filhos devem obedecer aos pais por causa do relacionamento que têm com Cristo.

Os filhos devem obedecer aos pais porque isto é agradável ao Senhor.

Filhos, vocês querem ser bem-sucedidos? Obedeçam e honrem seus pais.

4) Os pais devem cuidar dos filhos como Deus Pai cuida de sua família

Pais, não irritem seus filhos. Em outra tradução diz: E vós pais, não provoqueis a ira dos vossos filhos.

De que forma os pais provocam a ira de seus filhos, ou os irritam:

1.  Tratando-os com ironia.

2. Ridicularizando-os em tudo o que eles fazem.

3. Por excesso ou mesmo ausência de autoridade.

4. Desanimando-os com palavras negativas.

5. Mostrando a eles que você não está contente com o seu desempenho e que eles não são os filhos que você esperava.

6. Ficando em silêncio, não conversando com eles.

7. Usando palavras grosseiras, ásperas, excessivamente críticas.

 

Os pais têm o dever de cuidar da vida física e emocional dos filhos.

Os filhos necessitam de afeto, carinho, amor e encorajamento. E também de disciplina. (instrução e conselho).

Os pais precisam encorajar os seus filhos pela palavra do Senhor.

Quando os pais instruem seus filhos com os conselhos da palavra de Deus, eles estão ensinando seus filhos a amarem a Deus.

A educação espiritual dos nossos filhos não é de responsabilidade da igreja, mas dos pais. Portanto devemos conduzir o coração dos nossos filhos ao coração de Deus.

Se agirmos assim, seremos pessoas sábias, sensatas e que sabe governar bem a sua casa.

Desta forma seremos,  a família será melhor, a igreja será melhor, a cidade será melhor e, certamente, seremos sal e luz na Terra.

Aprendendo a viver assim haverá:

  1. Menos doenças emocionais.
  2. Menos enfermidades espirituais.
  3. Menos depressão.
  4. Melhores relacionamentos.
  5. Famílias saudáveis
  6. Igreja saudável. Nossa casa será um lugar de paz, e não um campo de batalha.

Precisamos, urgentemente, recuperar a saúde mental e espiritual de nossas famílias. Precisamos ter cuidado com a maneira que estamos vivendo. Seremos sábios ou insensatos? Pense nisso!

Anúncios

Sobre Comunidade Moriah

Seja bem vindo! Você acessou a página da Comunidade Moriah, uma Comunidade Cristã dedicada a viver e propagar a mensagem do Evangelho sem barganhas, em um espírito de humildade, sinceridade, moderação e amor. Aqui você poderá ficar por dentro de nossas atividades e conferir algumas das mensagens que têm sido ministradas entre nós. Esperamos que elas possam abençoar a sua vida tanto quanto nos têm abençoado!
Esse post foi publicado em Pregações e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s